Instalando placas em seu computador

segunda-feira, 8 setembro, 2008

Chega de ficar gastando dinheiro com mão de obra em assistência técnica. Chega de ficar instalando mais coisas do que você realmente precisa para rodar sua placa nova, sugeridas por assistencias técnicas. Chega de ficar pra taz, seu computador merece um UPGRADE!

Mas como fazer um Upgrade?
Como trocar as placas meu computador?
Como instalar placas novas no meu computador?

Acreditem amigos, não é tão complexo quanto parece.

Primeiro de tudo, você precisa saber o que seu computador possui atualmente e até onde ele pode ir, sem precisar trocar um zilhão de peças. Em fim, qual a compatibilidade das suas placas.

Para descobrir esse grande mistério da informática, existe um programinha simples. Chama-se AIDA32 (http://kaster-net.de/download/aida3942.zip). Porem o programa foi comprado pela Lavalys, e agora chama-se EVEREST e passa a ser pago. O link que eu passei é do AIDA32 mesmo, que é gratuito por definção (sendo assim, por o programa ser freeware não há como enquadrar o link como pirataria).

O AIDA32, apenas informa quais os componentes instalados no seu computador. Apartir da lista gerada pelo programa você pode encontrar informações de compatibilidade no site do desenvolvedor, ou muitas vezes em qualquer pesquisa feita ai pelos inúmeros mecanismos de busca presentes hoje na internet.

Ok, mas o que é crucial?

O mais importante, mas não o único (claro), é a Placa Mãe. Conforme o modelo da placa-mãe você pode descobrir muitas coisas, por exemplo:

  • Processador e Socket (AMD ou INTEL e pelo socket saber a versão. Por exemplo: Socket AM2 serve pra processadores AMD x2 (Athlon 64×2 e até mesmo alguns Sempron core solo, mas que já se enquadram nessa arquitetura de 940 pinos);
  • Tipo, freqüência e capacidade máxima de memória RAM (DIM, DDR, DDR2, DDR3 e por aí vai. 400MHz, 553, 667MHz, 800MHz, etc. Max. de 2GB, 4GB, 8GB, 16GB…);
  • Tipos de placas de expansão (PCI, PCI-e 16x, PCI-e 1x, AGP, etc);
  • Tipos de drives que podem ser instalados (IDE ou PATA, Serial ATA ou SATA, Serial ATA ou SATAII);
  • Quantos drives podem ser instalados (dependendo do número de conectores IDE ou SATA/SATAII);
  • Números de coolers/fans que podem ser instalados;
  • Tipos de Coolers que podem ser instalados (Com controle de temperatura automático, com controle de rotação automático ou manual, sem controle de temperatura/rotação)
  • Número de portas USB e de som que podem ser instaladas (de fábrica, não com expansões);
  • E por último, se há uma BIOS mais recente que a sua.

Claro que alguns componentes não se restringem somente a placa mãe, mas pelos itens citados a cimda dá pra ter uma noção de quão importante ela é.

Agora, tem coisas que não dependem nem um pouco de placa mãe. Por exemplo, se você resolver comprar uma placa de vídeo de 1GB, ou uma HD de 1TB (estou exagerando ok, mas saibam que esses números existem de verdade!), por mais que sua placa mãe suporte ambas, algumas outras coisas devem ser levadas em conta. Pra começo de conversa, para rodar uma placa de vídeo dessa e até mesmo a HD é necessário ficar atento a fonte do computador. Nada menor que 500 watts REAIS pode aguentar coisas como essas. E ainda mais, que adianta ter 1GB de vídeo ou 1TB de HD se você tem 256MB de memória RAM? Só vídeo não vai melhorar a performance do seu jogo preferido que rodava a 5fps com a placa antiga. Assim como só HD não resolve o problema de velocidade do seu PC (ainda mais porque a cota de armazenamento de arquivo de paginação, pra quando sua memória RAM não dá conta do serviço, é medida em %. Lembrem-se que 10% de 1TB são 100GB! Já deu pra notar o espaço de HD que você perde né?). Portanto: além de conhecimento da capacidade de seu micro, também é recomendável o BOM SENSO!!!

Bom, chega de lero-lero… Você já tá com td Ok!

1º de tudo: TIRE O COMPUTADOR DA TOMADA!!!
É IMPORTANTÍSSIMO QUE NÃO HAJA ENERGIA ESTÁTICA QUANDO ESTIVER MECHENDO NO COMPUTADOR ABERTO!!! Para tanto: calçados com solado de borracha e uma pulseira anti-estática são recomendáveis!

Pegue uma chave Phillips e abra a tampa lateral do computador. Localize a placa a ser trocada.

No caso de memória, é só soltar os clips que prendem a memória, retirá-la e colocar uma nova.

Se for uma placa de expansão: Tire o parafuso da placa atual, solte o clip que a prende (se for o caso), tire a placa antiga e coloque a nova.

Se for um processador: Solte os cabos do cooler, solte o(s) clip(s) que prende(m) o cooler, retire o processador antigo, coloque o processador novo (espalhe um pouco de pasta térmica sobre o processador novo antes de colocá-lo no lugar do velho), coloque o cooler por cima, prenda o(s) clip(s), ligue os cabos do cooler e pronto!

Se for um drive novo: Veja se há espaço para mais um drive nos flat cables ou conectores SATA, além de verificar se há cabo de fonte sobrando. Caso negativo existem extensores para os 3 tipos no mercado (só não vai achando que dá pra ligar 50hds em um computador comum). Caso for só a troca: retire os cabos do drive, retire os parafusos que o prende no gabinete, coloque o drive novo, coloque os parafusos, coloque os cabos.

ATENÇÃO: Ao trabalhar com drives é importanta saber qual vão ser os principais (MASTERS) e quais vão ser os secundários (SLAVES). Em geral as BIOS das placas mães suportam 2 MASTERS e 2 SLAVES (1 slave pra cada master). A ligação corriqueira é 1 HD como MASTER e 1 HD como SLAVE da 1ª HD, 1 Leitor/Gravador como MASTER e 1 Leitor/Gravador como SLAVE. Para facilitar as coisas é importante deixar a HD principal de BOOT como PRIMARY MASTER (ou primeira MASTER), mas teóricamente isso não precisa ser seguido a risca.
O importante é notar se não há MASTERS ou SLAVES sobrando. Para isso localize no drive um adesivo que explica qual a posição que o JUMPER (uma pecinha de plastico que cobre uns pinos de metal) deve estar. O ideal seria todos em CABLE SELECT e por cabo colocar na ordem que eu citei a cima, o que evita erros, mas a escolha por JUMPERS também funciona.

Feche a tampa lateral do computador, religue o cabo de força na tomada e ligue o computador. Dá pra entrar na BIOS pra ver se o computador reconhece algumas placas. No mais, se não for nada crucial, deixe o sistema operacional rodar e instale os drivers que vieram com o CD da placa.

Se tudo der certo: Pronto, vc está com uma placa nova instalada. Rapidamente, sem deixar o computador na mão de estranhos, sem ter atrazos e dor de cabeça e com a certeza de que não foi tirada/substituida nenhuma peça e nem que comprou mais peças a toa.

Anúncios

Formatando o Computador

domingo, 24 agosto, 2008

Boa tarde meus queridos.

Pois bem, hoje vou dar uma díca fácil, rápida e que cobram fortunas por aí, sendo que você pode fazer em casa.

Quando você enche seu computador de porcaria, já usou todos os tipos de programas para reparar o registro do windows, já usou o restaurador de sistema umas 15 vezes, já fez desfragmentação de disco 39 vezes com 40 programas diferentes. Se mesmo assim seu computador continua lento, continua zuado, se comporta de forma diferente do que costumava ou mesmo não responde mais; é chegada a hora da formatação!

Mas como formatar meu computador?

Acredite, é muito simples!

Primeiro de tudo, faça um backup de todos seus arquivos pessoais. Lembre-se que não dá pra recolocar os programas que você tinha simplesmente copiando-os de “x:\arquivos de programas\programa” (onde “x:” é a letra que designa o drive em qual se está trabalhando drive, “arquivos de programas” é a pasta onde os programas são geralmente instalados e “programa” é a pasta do programa), isso porque os programas fazem inserções diversas no registro do windows e alguns utilizam-se até de plug-ins, drivers e programas de terceiros. Então se você pretende reinstalar os programas no seu HD é preciso fazer backup do programa de instalação deles, e caso possuam plug-ins, fazer backup deles e/ou de seus programas de instalação.

Esse backup pode ser feito em mídias diversas, desde “upar” esses arquivos para uma HD virtual (basicamente um server), até mesmo gravá-los em um HD externo (nesse meio estão partições diferentes na mesma HD, disquetes, cds, dvds, outra HD, outro computador por meio de LAN [rede], pendrives, blue-ray e qualquer outra invenção tecnológica que o cérebro humano possa criar a fim de armazenamento de dados virtuais).

Backup feito é hora de por a mão na massa. Encontre um CD do windows (ou sistema operacional que você deseja instalar), esse cd deve ser BOOTABLE, caso contrário você precisa de um disquete/cd de boot.

NOTA: Se você for começar a formatar seu computador agora imprima esta página.

Reinicie o computador.

Aperte “DEL” ou “Delete” constantemente até abrir a BIOS ou Setup como alguns chamam (apesar de eu não achar muito correto. Mas esse blog não foi criado para expressar minhas próprias opiniões).

Procure por Boot e habilite o boot por CD (caso você possua um CD BOOTABLE), ou FLOPPY (caso opte por um disquete de boot. Salve as configurações e saia da BIOS, o computador vai se reiniciar sozinho.

Caso seja pedida alguma opção de BOOT escolha “BOOT com CD”. Você será informado de qual a letra correspondente ao seu drive de CD/DVD.

Caso você possua apenas uma partição ou HD, as coisas são mais simples.
No DOS mesmo digite:
format c:
Aperte “Enter”
* Lembre-se que c: refere-se à partição/HD a qual você deseja formatar.

Vai aparecer uma pergunta se você está certo de fazer isso, digite “Y” (de “yes”) ou “S” (de “sim”, tudo depende do DOS que seu computador possui) e aperte “enter”.
Uma contagem de porcentágem irá começar, esse é o progresso da formatação. Durante o processo certifique-se de que o computador não seja desligado, ou isso pode danificar o disco. Uma solução inteligente é utilizar um NoBreak, para evitar que o computador desligue caso haja falta de energia. Mas esse tipo de equipamento é caro, então faça por sua conta em risco.

Após o término da formatação você deve escolher o nome que dará a partição, muito antigamente dava-se o nome de WINCHESTER, hoje em dia o comum é dar o nome da assistência técninca ou marca do computador/hd. Mas você pode chamá-la do que quiser, do seu nome, do nome do seu cachorro, da sua namorada, de uma fruta, de um lugar, ou absolutamente NADA apenas apertando enter.

Formatação concluída. Abra o CD pela letra do drive que lhe foi fornecida no começo do processo. Geralmente “D:”, mas já ví de tudo, inclusive “S:”, acreditem.

Execute o programa de instalação do sistema operacional.

Pronto, seu computador está ZERADO!

NOTA: Em alguns computadores é necessário executar o smartdisc para instalar o sistema operacional. Qualquer CD/disquete de boot deve possuir esse arquivo, ele é essêncial.

OUTRAS INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

Se você quiser pode apagar, criar ou modificar partições utilizando o FDISK.

Eu particularmente prefiro partições FAT32, o windows XP pede para transformar a partição em NTFS. É sua escolha fazer isso ou não. Novamente, particularmente eu prefiro FAT32.
Você pode fazer uma formatação rápida digiando:
format c: /q
Onde c: é a partição/HD que você quer formatar.
Eu particularmente não aconselho a utilizar a formatação rápida quando pretende-se re-instalar um sistema operacional.

Dependendo do sistema operacional que você for colocar, será necessário fazer o download dos drivers para rodar direito certos componentes. Geralmente seu computador ou placa comprada a vulsa, possui um CD com todos os drives. Windows a partir da versão XP não necessitam de download de drivers (em geral, em alguns casos isso se faz necessário).

É isso ai, espero ter ajudado e feito com que vocês economisassem alguma grana.

Até mais!


Rounded Cable

terça-feira, 19 agosto, 2008

Esse post vai ensinar como fazer um rounded cable a partir de um flat cable, isso ajuda a manter o interior do computador organizado e também é um prato cheio pra quem curte CaseMod.

Essa dica é fácil de realizar, não exige muitas habilidades e conhecimentos, mas precisa ser executada com muita cautela para que não se corte uma das vias do flat cable, caso contrário o flat ficará inutilizado, assim como o(s) drive(s) que dependem desse para funcionar.

Pra você que ainda não sabe o que é um rounded cable e um flat cable:

Isso é um flat:

Isso é um rounded:

São poucas coisas que você vai precisar:

  • Chave philips para abrir o gabinete (D’oh!)
  • Faca, estilete ou tesoura para separar as vias
  • Espiral para proteger os cabos
  • Fita adesiva para arrematar as pontas da espiral
  • Abraçadeira de Nylon para garantir que a fita adesiva não vai escapar.

Bom, vamos ao que interessa.

Abra o gabinete, ache o flat cabe com qual você deseja trabalhar, desplugue-o da placa mãe e do drive.

Com um dos materiais cortantes mencionados na lista de material faça pequenos furos no flat cabe (cuidado pra não furar uma via!), separando as vias de 2 em 2 ou 4 em 4.

Após fazer os furos vá rasgando o flat com a mão mesmo (evita erros, por isso não continue com o objeto cortante).

Passe o espiral pelo flat cabe com as vias separadas.

Nas pontas do espiral passe uma fita adesiva para que ele não se solte.
Coloque as abraçadeiras sobre as fitas adesivas, assim você garante que o espiral não se solte, garantindo a segurança e resultado estético.

Plugue o rounded cable no(s) drive(s) e na placa mãe.
Feche o gabinete.

Pronto, você acaba de fazer um rounded cable apartir de um flat cable! Seu computador organizado, mais bonito, mais protegido e você não gasta quase nada!

(Como estou sem câmera ainda eu copiei algumas fotos de outros blogs/sites, se alguem se sentir lesado entre em contato comigo)


No início era uma grande bola de fogo…

quarta-feira, 13 agosto, 2008

Tudo no mundo tem um começo, até mesmo o mundo teve de começar um dia. Se formos entrar em uma discução filosófica, até o começo teve um começo um dia.

E é assim que as coisas funcionam, é assim que tudo rola, e esse blog não foge a regra.

Esse é o primeiro dos inúmeros posts que vão surgir com o tempo, fiquem ligados, muita coisa vai rolar por aqui. Se você se liga em informação, tecnologia, novidades e até mesmo DIY (Do It Yourself, ou “Faça Você Mesmo” na tradução da língua tupiniquim), não perca esse blog de vista! Muita coisa vem por ai…

Abraço a todos, até logo!